Sebrae maio 1

Sebrae maio 1
Consultores

quarta-feira, 8 de maio de 2019

Artesanato tocantinense marca presença na 12ª edição do Salão do Artesanato de Brasília

Seleucia Fontes / Governo do Tocantins
Fotos: Divulgação

Evento teve início nesta quarta e segue até domingo, 12, no espaço de eventos do Pátio Brasil Shopping.

Entre os destaques da mostra, peças em capim dourado e cerâmica

O Governo do Tocantins, por meio da Agência do Desenvolvimento do Turismo, Cultura e Economia Criativa (Adetuc), participa do 12º Salão do Artesanato, aberto nesta quarta, 8, no espaço de eventos do Pátio Brasil Shopping, em Brasília. A previsão é que maior vitrine do artesanato brasileiro, que segue até o próximo domingo, 12, receba os visitantes para adquirir os produtos expostos nos estandes de cerca de 1.000 artesãos de 20 estados brasileiros.

Artesãos tocantinenses apresentam suas peças em espaço coletivo do Estado

O Tocantins participa do evento com sete artesãos individuais e duas associações, selecionados por meio de edital. A divulgação e comercialização dos produtos artesanais acontece em um espaço coletivo de 70 m².

Durvalina foi homenageada pela organização do Salão

Capaz de apresentar como um cartão de visitas o potencial artístico e cultural de um povo, o artesanato é uma boa fonte de renda e hoje tem mercado garantido no Brasil. Nesta edição, a organização do evento prestou homenagem a um representante de cada estado. Durvalina Ribeiro de Sousa foi a homenageada do Tocantins. Natural de Mateiros, hoje moradora de Palmas, a artesã trabalha com capim dourado desde os 12 anos, arte repassada por sua mãe. Além do comércio de peças, ela também transmite seus conhecimentos por meio de capacitações.

Uma galeria especial reúne peças de todo os artesãos homenageados

Além de Durvalina, estão em Brasília os artesãos Elisângela Ribeiro Amâncio, de Xambioá, Guilherme Antônio dos Santos, de Porto Nacional, Eliene Bispo Cantuário, de Dianópolis, Márcio Bello dos Santos, de Porto Nacional, Iracy da Silva Miranda, de Palmas, e Lucia Melo de Carvalho de Palmas. As duas entidades representativas são a Associação dos Artesãos do Capim Dourado Pontealtense, de Ponte Alta do Tocantins, e o Centro Cultural K’yjre, de Goiatins, com artesanato da etnia indígena Khaô.

Nenhum comentário:

Postar um comentário