Sebrae maio 1

Sebrae maio 1
Consultores

sexta-feira, 26 de abril de 2019

Cinque Terre, Itália: Patrimônio da Humanidade!


Cinque Terre é um parque nacional italiano formado por cinco vilas: Monterosso al Mare, Vernazza, Corniglia, Manarola e Riomaggiore. As cinco cidades coloridas são construídas explorando as montanhas que circundam o mar. Embora o destino seja muito querido na primavera e no verão, nós escolhemos visitá-lo no inverno aproveitando as temperaturas amenas e evitando as multidões.

Por Ana Carolina Pires, de Zurich Switzerland      
Fotos: Ênio Salgado e Ana Pires




Após pesquisarmos, vimos que o acesso mais fácil às cidades seria de trem saindo da estação central de La Spezia, onde se pode comprar o passe “Cinque Terre”, que vale por um dia por 19 Euros por pessoa ou 41 Euros a família.

La Spezia por si só já valeria a visita. A cidade tem uma excelente infra-estrutura turística com muitas opções de hotéis e restaurantes. Suas ruas de comércio, grandes avenidas e praças, além de uma orla belíssima, convidam os visitantes de Cinque Terre a passar ao menos um dia explorando o que ela tem a oferecer.

É possível conhecer as cinco cidades em apenas um dia. Muitas pessoas partem de Genova (uma hora de carro), de Parma (uma hora e meia de carro) ou de Pisa (uma hora de carro). Nice, na França, fica ha 3 horas e meia de viagem, Roma a 4 horas e 21 minutos e Florença a duas de carro.

Hospedagem

Eu acredito que a melhor opção é se hospedar em La Spezia por pelo menos dois dias, tirando um dia para conhecer a cidade. Como estávamos viajando com crianças, resolvemos fazer o passeio com menos correria. Ficamos hospedados cinco dias em La Spezia e aproveitamos para conhecer Pisa, um must para as crianças, e Lerici, cidade litorânea belíssima.

No primeiro dia de viagem fomos a Monterosso al Mare, Vernazza e Corniglia. As paisagens observadas pela janela do trem já nos prepararam para a beleza que estava por vir. O efeito UAU nos acompanhou por todo o dia.

Vernazza






Começando em Monterosso al Mare e o seu calçadão muito bem cuidado. O caminho da estação para a cidade tem a opção direta (por um túnel) ou por uma escadaria repleta de mirantes. Nós escolhemos, claro, a escadaria, e não nos arrependemos. Além da vista privilegiada do mar, tem a vista completa da cidade e seu porto que, de outra maneira, só se seria possível ver através de um passeio de barco.

Vários restaurantes do Cinque Terre só abrem no verão e na primavera, mas sempre tem ao menos um aberto. Em Monterosso, era a Diablo Pizzaria. Foi uma grata surpresa. Alem da pizza deliciosa e do chopp gelado, o atendimento era de primeira.

Nossa segunda parada foi em Vernazza. A cidadezinha é um encanto. O acesso da Estação de trem a Vernazza é por meio de uma grande escadaria, da qual é possível ver praticamente toda a rua principal até o mar. As opções de restaurantes e comidinhas lá eram bem maiores que em Monterosso al Mare. Encontramos não só o delicioso sorvete italiano, com foi possível experimentar a famosa farinata, com textura entre a panqueca e o pão.
Cornigilia






Encerramos o dia em Corniglia. Para chegar até a cidade, o acesso é feito por uma ampla e longa escadaria. Não precisa subir em um fôlego só, há vários pontos de parada com bancos para descansar ou mesmo fazer uma foto. A cidade é, entre todas as outras, a que mais tem ruas estreitas e que são, na verdade, escadas.

É interessantíssimo andar por ela e ir descobrindo em cada esquina, em cada cantinho um lugar diferente. Subimos até o mirante do castelo e a vista de lá é de tirar o fôlego.

Na descida, aproveitamos para parar no terraço de um barzinho e matar a sede com um chopp e as deliciosas azeitonas pretas da região. O dia acabou na estação de trem de Corniglia, com um por do sol de deixar você embevecido.

Manarola e Riggiomagiori ficaram para o outro dia. Como eram os destinos mais próximos de La Spezia, compramos os tickets apenas para as duas cidades, mais em conta que um novo ticket do dia para Cinque Terre.

Manarola





Começamos por Manarola. O acesso da estação de trem para o centrinho da cidade é feito por meio de um túnel decorado com arte local. No verão e na primavera é possível fazer passeios de barco e mergulho. No inverno, infelizmente, não há nenhuma oferta de navio.

A cidade é encantadora e vale a pena se entranhar pelas ruas estreitas e se deliciar com o aroma das laranjeiras. Manarola poderia ser escolhida como cartão postal do Cinque Terre. Pitoresca, colorida, tem tudo que se espera ver nesse destino em um só lugar.

Embora a maioria das trilhas entre as cidades estivesse fechada em função do clima, um trecho da trilha de Manarola estava aberta e nós pudemos subir até um ponto alto da cidade, equipada com restaurante e parquinho, de onde se tem uma vista privilegiada do mar. 

Rigiomaggiore






Rigiomaggiore finalizou a nossa viagem com chave de ouro. O acesso da estação à cidade é feito por uma rampa de onde se pode ver todo o centrinho até o mar. As ruas repletas de laranjeiras, a sua bela igreja e charme completaram o passeio.

A estrela da culinária local são as Ostras recheadas muscoli ripieni, as farinadas (massa entre um crepe e um pão), o pesto de basilico, as focaccias e as fritadas de frutos do mar. Os vinhos, limoncello e azeite da região também são bem conhecidos.
Ana Carolina é jornalista e consultora de viagens pela a Europa. Contato: +41 76 702 13 53 (Whatsapp)


Nenhum comentário:

Postar um comentário